E se o mundo acabasse hoje?

Reflexão

Quando atingimos a maturidade, ou passamos do cinquentenário, os nossos pensamentos se modificam, as nossas certezas se tornam incertas e o mundo fica diferente em todos os aspectos. E quando os velhos amigos, aqueles que conhecem as novas manias e preferências se vão, um certo vazio toma conta do peito e na cabeça surgem muitas dúvidas. Umas temos coragem de questionar, outras deixamos quietinhas para não despertar pensamentos que possam nos tornar mais confusos.
Com a celeridade em quase tudo, fica difícil acompanhar. Uns dizem que em situações assim somos devorados pela maldita SÍNDROME DO PÂNICO, onde começamos a ter medo de quase TUDO e, para quem está de longe, sem necessidade. NUNCA fui a um psicólogo e pretendo terminar meus dias sem essa necessidade. Nada contra aos que vão, mas ainda prefiro o espelho. Entretanto, tenho o sentido embaçado diante de algumas situações. Como sou exigente em tudo que faço, meus planos são de alto risco; me acostumei com desafios e através deles que sinto prazer e a necessária alegria de viver. Adoro traçar metas e correr para atingi-las. Isso, nos últimos tempos, foi se reduzindo graças ao terrorismo daquele #fiquemcasa.
Hoje, ao iniciar a minha leitura matinal dos jornais e sites que gosto de ver, encontrei a pergunta: “E SE O MUNDO ACABASSE HOJE?” Pensei um pouco e lembrei que todos os dias ele acaba para alguém, mas sempre existirá e já contabilizará milênios. Talvez, para mim, ficaria poucas coisas a serem feitas. Ou melhor, vividas. Os filhos estão criados, tive bençãos e mais bençãos, conheci mais de 70 países, tive uma companheira que se houver uma nova vida peço a Deus que me conceda mais uma vez a benção de tê-la comigo. Não fiz fortuna, mas nunca esteve nos meus planos. Gosto de trabalhar, suar e comprar as coisas que me trazem alegria. Gosto de presentear as pessoas que amo com coisas que elas sonham. Adoro me sentir amado.
Hoje mesmo, quando fui à padaria, uma senhora com um cachorrinho me parou e sorridente disse: “Você é JORGINHO? Não fomos apresentados. Sou ANA LÚCIA e queria te dizer que sou apaixonada por tudo que você escreve e posta!” Alguém pode começar o dia melhor? Não! E atitudes assim, lembranças infinitas da infância de nossos filhos, as caminhadas pelo mundo, os almoços de família aos domingos, são mais que suficientes para dizer que se O MUNDO ACABASSE HOJE, Deus já teria me abençoado com momentos que valeram a passagem pela vida. Imagem de moritz320 por Pixabay 

COMPARTILHE:
Faça seu login e comente essa matéria