CLASS

 


   
  Esqueci minha senha | Ainda não sou assinante    

CLASS/TORPEDO

09/08/2019 16:30 pm

PAIÊÊÊÊÊ… TE AMO!!!

As datas festivas, tipo o DIA DOS PAIS, cada vez mais perdem o verdadeiro sentido e caem na armadilha do consumo. Mas, percebe-se que muitos não fazem mais questão de comemorações, ou fingem. O número de famílias que não cultiva essa união tão bonita, que deve existir entre PAIS e FILHOS, também aumenta.
Certa vez li, em algum lugar, que um filho, morando no Rio de Janeiro, escrevia todos os anos, e foram mais de 10 anos, para o pai, que morava no interior de São Paulo, pedindo desculpas, mas os compromissos profissionais o impediam de passar a data com ele. E sempre fazia questão de lembrar que reconhecia o seu sacrifício por toda uma vida para que ele se formasse em DIREITO. Agradecia por ter sido um exemplo de caráter e também por sua determinação na realização de seus sonhos. O pai se emocionava; até que, um dia, resolveu passar um telegrama com o nome de um parente, comunicando o seu falecimento na véspera do DIA DOS PAIS, sendo necessário que ele fosse participar das exéquias. O filho comprou as passagens e foi até o local onde ele morava. E, ao chegar lá, teve a surpresa de ver o pai com saúde na varanda da casa. Espantado, o abraçou e contou sobre o telegrama. O pai apenas disse: “Foi a única maneira que encontrei para que merecesse receber um abraço pelo menos no DIA DOS PAIS.” Mesmo que o fato não seja verídico, reflete perfeitamente o comportamento de muitos que sempre acham uma boa desculpa para não cumprir o seu papel, pelo menos uma vez ao ano.
Quando me tornei PAI, aos 27 anos, não tinha a menor ideia de como minha vida mudaria a partir daquele momento. Mas, imediatamente comecei a sentir um tipo de AMOR totalmente diferente. Uma vontade de viver para proteger, de não me arriscar porque um ser indefeso dependia de mim, acordava na madrugada para ver se estava dormindo; coisas assim, que, até então, não faziam parte da minha rotina. A cada filho, mesmo com a experiência, ainda me sentia mais preocupado. E sempre com uma vontade avassaladora de proteção para que NADA pudesse interferir na alegria deles. Os domingos nas pizzarias, as tardes nos circos que passavam pela cidade, a roupa nova e um bom perfume faziam parte do orçamento familiar. Tudo isso era compartilhado com a alegria inexplicável de quem sabe estar dando o melhor de si.
Sempre ouço comentários que, geralmente, os pais querem dar o que não tiveram aos filhos. Comigo não foi bem assim. E nem acho que isso possa ser generalizado. Existe algo que merece ser avaliado: as condições financeiras. É impossível garantir uma vida melhor se o chefe de família não for um empresário bem-sucedido, ou se não recebe um grande salário. Quem é provedor de uma família, sabe do que falo. Viver bem custa muito caro. E sempre custou, em todas as épocas. Mas, o que há de ser considerado MESMO é o AMOR que repassamos. Pelos filhos, se renuncia a TUDO. Eles passam a ter o domínio de nossas prioridades, mesmo que não cobrem isso.
Durante muitos anos, a valorização maior na formação familiar sempre foi para as MÃES e acho que ainda deve ser. Mas, de uns anos para cá, quando o homem se liberou de regras e começou a compartilhar com mais participação coisas do tipo dar banho, levar ao colégio, levar ao médico, no judô, no ballet com a naturalidade que o preconceito impedia, os PAIS tomaram uma posição mais interessante. Hoje, vejo rapazes demonstrarem seu carinho e amor com beijos e abraços em público e até mesmo declararem em depoimentos: “PAIÊÊÊÊ… te amo.” Isso, meus caros, é muito novo.
Houve uma época em que eles não queriam nem que os PAIS os levassem aos shows e às escolas, pedindo que os deixassem na esquina para não pagar MICO. Então, nesta data específica, não se preocupe em comprar o presente mais CARO. Tenho certeza que, para qualquer PAI, o maior prazer será aquele abraço e, quem sabe, um cartãozinho (para os mais inibidos) demonstrando TUDO que ele realmente representa em sua vida. Para todos os PAIS, o nosso carinho e admiração, desejando que o domingo seja realmente um dia de muita alegria e felicidade. Nós merecemos.

JORGINHO SANTOS

 

Cesar Saade Jr. com os filhos, Cesar e Isabela

Assis com os filhos, Marcelo, Lucas, Karina e Sandro

Fernando Corteletti e a filha, Sophie

Marcos Reggiani com o filho, Marquinhos

Octavio Bastos com a filha, Julia

Luiz Bedran e as filhas, Fernanda e Renata

Carlos Roberto Coutinho com as filhas, Danih e Bianca

Carlos Augusto Neves com as filhas, Kamylla e Stephany

Francis Thompson com a filha, Sofia

Apolinho Rizk com o filho, Yuri

Andrezinho Castro e o filho, Cauê



« VOLTAR

4 Comentários

  1. qwqwq disse:

    GENIAL A IDEIA DE PUBLICAR A FOTO EM PRETO EM BRANCO.

  2. Eduardo Guignone disse:

    Reflexao espetacular de um pai sendivel , zeloso e muito amoroso, como todos mereceriam ter. Parabens meu amigo!!! Deus te proteja!!! Abraçao!!!

  3. Eulalia disse:

    Parabéns Jorginho, voce é um paizão!!!

  4. Andrezinho Castro disse:

    Jorginho meu Amigo, muito obrigado pelo carinho de sempre!!!! Fiquei emocionado com uma homenagem tão especial!!!!!

Deixe seu comentário