CLASS

 


   
  Esqueci minha senha | Ainda não sou assinante    

CLASS/TORPEDO

05/02/2019 15:30 pm

E POR FALAR EM SAUDADE!!!

Reconheço que sou bastante saudosista. Mas, não sofro com lembranças; ao contrário, revivo e consigo me revigorar recordando tudo de bom que DEUS já nos permitiu viver.
Sempre fui determinado em valorizar conquistas e menosprezar as surpresas desagradáveis da vida. Na minha balança, o peso sempre exalta o lado bom da vida. Claro que, como ser humano, é natural enfrentar problemas. Quem não os tem? Mas, os meus mais difíceis tive a força divina me apoiando, me fortalecendo, até ser resolvido. E sempre lembrando a frase de BUDA que muito nos ajuda: “ O bem e o mal passam na mesma intensidade.” A diferença é que a maioria das pessoas prefere realçar o lado negativo.
Hoje, acordei às 6 horas e, quando vinha para o escritório, bateu uma saudade enorme de alguns amigos que foram tão importantes na minha vida e se foram, deixando um grande vazio. Lembrei dos meus pais e principalmente da minha mãe, que às 5 da manhã já estava, todos os dias, no Mercado da Vila Rubim fazendo compras para o restaurante, o trabalho que garantia a nossa sobrevivência. Que mulher admirável!!!!! Dentro de sua simplicidade e humildade, guardava a sabedoria e o respeito pelo próximo e me ensinou a fazer o mesmo.
Certa vez, conversando com o sábio Manoel Martins sobre a promessa de alguns seres humanos passarem a viver 120, 130 anos, ele disse: “Não faz sentido! Quando nossos entes queridos e amigos morrem, dão lugar à solidão.” É verdade! Viver sem compartilhar as alegrias e tristezas deve ser um castigo.
Depois dos 60 anos, comecei a ter mais preocupações com a família do que comigo mesmo. Sou daqueles que se realiza, atualmente, com filhos e netos do que comigo mesmo. O dinheiro para mim já entrou na planilha secundária. Preciso dele para sobreviver, mas apenas o suficiente para manter os compromissos em dia. Odeio dívidas! E implementei em nossa casa algo simples: Aqui, podemos tudo! Uma coisa de cada vez!
Muita gente pensa que vivemos apenas do glamour, da chiqueria ou, como alguns definem erroneamente, na “ostentação”. Enganam-se! Adoro casa bonita, limpa, perfumada e coisas boas. E, como a minha mulher comunga dos mesmos gostos, fazemos de nossa casa o nosso mundo melhor. Isso inclusive chega a gerar inveja de pessoas ricas, que têm milhões a mais do que nós. Infelizmente! Você sabem, alguns RICOS sofrem mais quando veem POBRES vivendo melhor do que eles, ao ponto de mostrarem indignação. A razão é simples: estes, guardam dinheiro para serem reconhecidos como RICOS, nós trabalhamos e gastamos para viver e compartilhar com a família.
Aliás, nem sei porque estou perdendo tempo em falar dessas pessoas. Ah… lembrei: é porque hoje comecei o dia um pouco nostálgico e recordando de pessoas totalmente diferentes delas – ricas, divertidas, outras nem tão ricas, mas sábias, capazes de aplaudir e vibrar com as conquistas alheias. Elas não estão mais aqui, mas continuam perpetuadas em meu coração e inspirando essa crônica que não poderia ter outro título: “E… POR FALAR EM SAUDADE!”

JORGINHO SANTOS



« VOLTAR

3 Comentários

  1. Eulalia disse:

    Jorginho adorei!! E por falar em saudades, estamos com saudades de voce!!

  2. Edy Meira Mota Vello disse:

    Linda crônica saudades de coisas boas vale a pena recordar. Lindo falar de sua mãe do seu Restaurante. Daí a sua garra e essa sua linda família e seu lindo lar. Tesouros riquezas imensas

  3. OCTAVIO CARRILHO BASTOS NETO disse:

    Lindas palavras meu amigo… Obrigado por compartilhar essa sabedoria conosco.

Deixe seu comentário Edy Meira Mota Vello